Justiça: Tribunal de Justiça de São Paulo celebrou a tradicional 63ª Páscoa da Família Forense – 24/05/2015

Tribunal de Justiça de São Paulo celebrou a tradicional 63ª Páscoa da Família Forense
Tribunal de Justiça de São Paulo celebrou a tradicional 63ª Páscoa da Família Forense

 

 

 

Neste domingo (24), o Tribunal de Justiça de São Paulo celebrou a tradicional 63ª Páscoa da Família Forense, realizada na Catedral da Sé pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, Dom Carlos Lema Garcia, no mesma data em que a Igreja celebra a vinda solene e pública do Espírito Santo sobre os discípulos de Jesus reunidos em Jerusalém, no dia em que os hebreus comemoravam a festa judaica de pentecostes. Durante a homília, Dom Carlos falou sobre distinguir o bem do mal e contextualizou dizendo que os magistrados também precisam da sabedoria para decidirem os processos.

 

 

 
A cerimônia teve a participação de servidores do Judiciário na sua celebração. O secretário de administração, Eduardo Roberto Alcantara, fez a primeira leitura e a segundo foi realizada por Maria da Glória Neves Nakamura, que trabalha no Serviço Psicossocial Clínico. A oração dos fiéis ficou a cargo de Ivan Aparecido dos Santos (1º Ofício Cível). A procissão de ofertas foi executada pelos casais, Jorgeana Souza dos Santos e Marcelo dos Santos; Rita de Cassia Carneiro Stroebel e César Augusto Stroebel. João Batista Silva, auxiliou na cerimônia. Os cantos foram interpretados pelo Coral da Associação Atlética Banco do Brasil, que finalizou ao som da Aleluia, de Haendel.

 

 

 

 
Para o presidente do Tribunal, José Renato Nalini, a Páscoa da Família Forense vai além do aspecto religioso. “A conglomeração de pessoas unidas pela paz e harmonia, independente de crença, produz resultados positivos comprovados cientificamente.” O presidente da Comissão da Páscoa Forense, desembargador Antonio Carlos Munhoz Soares, falou sobre a tradição da Páscoa Forense, celebrada desde 1952, que é o congraçamento entre magistrados e servidores da 1º e 2ª instâncias e seus familiares, advogados e promotores.

 

 

 
A tradição está presente na vida da advogada Judith Alves de Matos há quase 30 anos. Ela participa das celebrações e guarda todos os “livrinhos” de roteiro da cerimônia. “É um momento de unir a família forense e também de se aproximar mais de Deus por meio da oração”, afirma.

 

 

 
Ao término da celebração, todos se uniram no Salão dos Passos Perdidos do Palácio da Justiça para cortar o bolo simbolizando a tradição e abertura da confraternização em torno da Eucaristia.

 

 

 
A Comissão da Páscoa Forense é composta também pelos desembargadores José Antonio de Paula Santos Neto e Vicente de Abreu Amadei; os juízes substitutos em 2º grau, Airton Vieira e Walter Rocha Barone; os juízes José Roberto Leme Alves de Oliveira, Paulo Nimer Filho e Marco Fábio Morsello.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Comunicação Social TJSP