Economia: Procon vistoria 59 ônibus em garagem no Rio e lacra 57

Procon RJ
Procon RJ

 

 

O Procon Estadual do Rio de Janeiro vistoriou na madrugada de hoje (26) 59 ônibus na garagem da empresa Viação Pégaso, na zona oeste do Rio, e encontrou irregularidades em todos os coletivos. Dois veículos tiveram os problemas resolvidos no momento da fiscalização, mas os outros 57 foram lacrados pelo órgão, e só voltarão a circular depois que a empresa fizer os reparos e submetê-los a nova perícia.

 

 

A ação faz parte da Operação Roleta Russa, e o diretor de Fiscalização do Procon, Fábio Domingos, disse que o resultado da vistoria mostra a ausência de uma rotina de manutenção na empresa: “Os problemas encontrados seriam sanados se fosse uma empresa que tivesse uma rotina de manutenção. O problema é que essas empresas não têm essas rotinas. Quando o motorista vai para o ônibus, o check-list que ele faz é virar a chave”, apontou. “Estava lá com mais 10 fiscais e o que constatamos é que cada ônibus em que a gente entrava, a gente interditava”.

 

 

 

Os fiscais encontraram ônibus com certificado de licenciamento com data de 2013, janelas e retrovisores quebrados, faróis e luzes de ré queimados, freio quebrado, fiação solta e dedetização vencida, além de outros problemas. Veículos sem extintores de incêndio e bancos de portadores de necessidades especiais danificados também foram interditados.

 

 

 

 

Com 24 linhas e cerca de 400 ônibus, a empresa presta serviço na zona oeste da cidade, em bairros como Campo Grande e Santa Cruz. Segundo Fábio, se a fiscalização fosse adiante, mais ônibus poderiam ser lacrados e poderia resultar em “colapso do sistema de transporte”: “O prejuízo ao consumidor seria maior. Ia colapsar toda aquela área da zona oeste”, disse ao afirmar que mais empresas serão vistoriadas. Segundo Fábio, o Consórcio Santa Cruz, do qual a Pégaso faz parte, terá que remanejar ônibus de outras empresas para suprir a falta dos 57 veículos lacrados.

 

 

 

A Viação Pégaso afirmou por meio de nota que montou uma ação emergencial para reparar os ônibus interditados, e a situação deve ser normalizada ao longo do dia. O consórcio informou que os ônibus lacrados representam cerca de 2,5% da capacidade de atendimento à população da zona oeste.

 

 

 

O consórcio declarou que passa por uma reestruturação, mas que é importante a adoção de medidas como o combate ao transporte clandestino, “para permitir uma operação de acordo com os padrões previstos no contrato de concessão.”

 

 

 

A empresa foi autuada e apresentará sua defesa dentro de 15 dias, para então ser calculada a multa a ser paga. O Procon vai oficiar a Prefeitura do Rio de Janeiro, as agências reguladoras competentes e o Ministério Público (MP) para que mais providências sejam tomadas. A vistoria, segundo Domingos, foi motivada por um pedido do MP e por denúncias que chegaram ao Procon.

 

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Agência Brasil