Economia: Joaquim Levy diz que é preciso votar MPs e avançar para agenda além do ajuste

Joaquim Levy
Joaquim Levy

 

 

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse hoje (5) que é preciso votar com rapidez as medidas de ajuste fiscal enviadas pelo governo ao Congresso Nacional para que se crie um ambiente favorável ao crescimento do país e aumento do emprego. Levy disse que a aprovação das medidas são o primeiro passo para uma “agenda além do ajuste”, que ele chamou de “triplo A”.

 

“Temos que votar essas medidas que estão no Congresso o mais rápido possível porque elas criam um novo ambiente. É um primeiro passo para o que precisamos fazer para voltar para a rota do crescimento, para o aumento do emprego”, disse.

 

 

Ao falar sobre as negociações com os parlamentares para a aprovação das medidas provisórias 664 e 665, Levy disse que é importante manter a integridade das medidas e, novamente, reforçou que elas não retiram direitos dos trabalhadores. A Medida Provisória 664 altera normas de pensão e a Medida Provisória 665 altera as regras do seguro-desemprego, seguro defeso e abono salarial.

 

 

 

“Tem havido um entendimento muito claro de que a gente tem que manter a integridade das medidas. Como sabemos, são medidas que não retiram nenhum direito do trabalhador, mas que, na verdade, consertam brechas que iam até contra os programas”, disse o ministro.

 

 

Joaquim Levy participou no início da tarde de reunião com o vice-presidente Michel Temer, que tem negociado com parlamentares a aprovação das medidas do ajuste fiscal, e com os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e Eunício Oliveira (PMDB-CE).

 

 

Da Redação com informações da EBC