Dia Nacional em Defesa do Velho Chico: Comitê do Rio São Francisco realizará um dia inteiro de mobilizações – 03/06/15

Médio do São Francisco - Plano de Bacia para o São Francisco é debatido em cidades baianas
Médio do São Francisco

 

 

Pelo segundo ano consecutivo, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) realiza uma intensa campanha de mobilização nacional que visa chamar a atenção da sociedade para a necessidade de revitalização do Velho Chico. O ‘Rio da Integração Nacional’ passa por uma séria crise, que compromete o futuro das suas águas e de cerca de 15,5 milhões de brasileiros (8,5% da população do país) que dependem do rio para viver e trabalhar, além da sua rica biodiversidade. A ideia é que a campanha Eu viro Carranca para defender o Velho Chico conclame a todos, especialmente os moradores da bacia do São Francisco, a participarem de uma série de atividades que acontecerão no dia 3 de junho e marcam o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico.

 

 

“Nossa expectativa é, mais uma vez, levar a voz do povo ribeirinho para toda a sociedade, especialmente para a imprensa e autoridades, apontando os seus principais problemas e exigindo a devida atenção ao rio e à sua gente”, destaca Maciel Oliveira, secretário-geral do CBHSF, dizendo que “a chamada para virar carranca em defesa do rio ‘pegou’, foi muito bem aceita por todos”. Em 2014, houve um engajamento de milhares de pessoas, seja nos eventos realizados nas cidades da bacia, seja por meio das mídias sociais e veículos de comunicação tradicionais.

 

 

 
Ações em toda a bacia – O dia 3 de junho será inteiramente dedicado às mobilizações em cidades-polos da bacia, como Juazeiro e Bom Jesus da Lapa-BA, Petrolina-PE, Penedo-AL, Três Marias-MG, entre outras, que se organizarão por meio de grupos culturais, escolas, associações comunitárias e instituições governamentais. Entre as atividades estão programadas barqueatas (comitiva de barcos), peixamentos (colocação de peixes no rio), além de exposições, debates e mobilizações envolvendo pescadores, comunidades indígenas, quilombolas, pesquisadores, estudantes e gestores públicos. Estão previstas ações em todos os cinco estados por onde corre o São Francisco: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.

 

 

 
“Este ano, teremos como diferencial a atuação de mobilizadores sociais, articuladores locais que estimularão a participação da comunidade nas atividades, abrangendo um público ainda maior”, explica Maciel Oliveira. Reforçadas por inserções nos meios de comunicação (anúncios, spots, entrevistas e reportagens), as ações darão destaque a quatro discussões relevantes para a vida do rio, que são:

 

 
1) uso racional dos recursos hídricos;
2) revitalização;
3) novo modelo e nova matriz energética;
4) vazão consciente, respeitando os usos múltiplos.

 

 

 
São vertentes que, em síntese, apontam para uma só direção: a necessidade de “salvar” o rio São Francisco, promovendo a sua recuperação ambiental e reforçando a sua importância econômica, social e cultural para o país.

 

 

 
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco é um órgão colegiado, integrado pelo poder público, sociedade civil e empresas usuárias de água, que tem por finalidade realizar a gestão descentralizada e participativa dos recursos hídricos da bacia, na perspectiva de proteger os seus mananciais e contribuir para o seu desenvolvimento sustentável. A diversidade de representações e interesses torna o CBHSF uma das mais importantes experiências de gestão colegiada envolvendo Estado e sociedade no Brasil.
 

 

Da Redação com informações de Antônio Moreno e André Santana da Assessoria de Comunicação CBHSF