CPI da Petrobras: Ex-dirigente da Camargo Corrêa diz que pagou propina a ex-diretores da Petrobras através de contratos de fachada com empresas de consultoria.

Eduardo Hermelino Leite depõe na CPI da Petrobras
Eduardo Hermelino Leite depõe na CPI da Petrobras

 

 

 

 

O executivo Eduardo Hermelino Leite, ex-vice-presidente da construtora Camargo Côrrea, disse à CPI da Petrobras ter efetuado pagamento de propinas aos ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa (de Abastecimento) e Renato Duque (de Serviços).

 

 

Ele explicou que o pagamento de propina era intermediado por dois operadores: o doleiro Alberto Youssef (para Paulo Roberto Costa) e Júlio Camargo (para Duque). “O pagamento de propina se dava através de operadores, que eram cobradores contumazes.”

 

 

 

Leite disse ainda que o valor correspondente à propina (1% para cada uma das diretorias) era acrescido pela Camargo Correa no custo da proposta que era enviada à Petrobras. “Era um custo que era alocado na gestão do empreendimento. Era acrescido na proposta: 1% para cada diretoria [de Abastecimento e de Serviços]. Esse custo era cobrado da Petrobras”, disse.

 

 

 

 

O pagamento era por meio de contratos de fachada com empresas de consultoria. “Isso entrava na contabilidade como custo, já que era pago a uma consultoria. Não era caixa dois”, afirmou Eduardo.

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Agência Câmara Notícias