Meio Ambiente: Terremoto de 7,9 na escala Richter causa ao menos 876 mortes no Nepal, China e na Índia

Terremoto de 7,9 na escala Richter causa ao menos 876 mortes no Nepal, na China e na Índia
Terremoto de 7,9 na escala Richter causa ao menos 876 mortes no Nepal, na China e na Índia

 

 

Um violento terremoto atingiu a região central no Nepal neste sábado (25), destruindo casas e um monumento na capital, Katmandu. Um balanço provisório de vítimas divulgado pela polícia indica que 876 corpos foram encontrados até o momento. Pelo menos 20 pessoas morreram na China e na Índia, onde o tremor também foi sentido.


O número de feridos ainda é indeterminado. O tremor, de 7,9 pontos na escala Richter, aconteceu a 80 quilômetros a oeste da capital, segundo o USGS, o instituto americano de vigilância geológica.

 

 

O fenômeno causou o desmoronamento da torre Dharhara, um monumento histórico do século 19. O prédio tinha oito andares e recebe turistas há 10 anos. Cerca de 50 pessoas que estavam no local ficaram presas nos escombros e vários corpos já foram retirados.

 

 

Em um parque de Katmandu, uma menina morreu ao ser atingida por uma estátua que desabou. Com medo dos desmoronamentos, os nepaleses saíram de suas casas e procuraram refúgio nas ruas. As residências do país são frágeis e muitos templos hindus são de madeira. Várias ruas e estradas sofreram largas fissuras.

 

 

Sentido na Índia

 

 

O tremor aconteceu na hora do almoço e durou entre 30 segundos e dois minutos, de acordo com a região. Ele foi sentido até na região do monte Everest, onde provocou avalanches. O fenômeno também se estendeu a Nova Délhi e outras cidades no norte da Índia. “Estamos em busca de mais informações e tentando entrar em contato com pessoas afetadas, aqui na Índia ou no Nepal”, declarou o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, em sua conta no Twitter.

 

 

O terremoto mais grave já ocorrido no Nepal foi em 1934, quando um tremor de magnitude 8,3 matou mais de 8,5 mil pessoas.

 

 

 

Da Redação com informações de Agências Internacionais e da RFI