Internacional: União Européia e Grã-Bretanha definem passos para negociação do “Brexit”

União Européia e Grã-Bretanha definem passos para negociação do “Brexit”

 

 

O chefe europeu das negociações da saída do Reino Unido da União Europeia, Michel Barnier, afirmou que o primeiro dia de reuniões com os britânicos foi produtivo e que aponta para um futuro promissor nos debates.

 

 

 

 

 

 
“Essa primeira sessão foi importante, útil, para iniciar com o pé direito enquanto o relógio corre. Nós concordamos sobre as datas, a organização e as prioridades para a negociação. Como primeiro passo, nós precisamos afastar as incertezas impostas pelo ‘Brexit'”, comentou Barnier nesta segunda-feira (19).

 

 

 

 

 

 

 
De acordo com o representante europeu, o segundo encontro “servirá para debatermos o futuro da parceria”. Ele ainda adiantou que “haverá uma semana de negociações a cada mês” até outubro.

 

 

 

 

 

 

Barnier ressaltou que o bloco não está tratando a situação como “uma punição ou uma vingança” e destacou que busca um acordo “justo” para ambas as partes. O francês ainda soltou uma “indireta” para a premier britânica, Theresa May, que afirmou por diversas vezes que era “melhor não ter acordo do que um acordo ruim”.

 

 

 

 

 

 

“Um acordo justo é possível e é muito melhor do que um não acordo. Por isso, trabalharemos sempre com a Grã-Bretanha e nunca contra eles. Nunca serei hostil. Não estou nem otimista, nem pessimista, mas determinado”, disse aos jornalistas.

 

 

 

 

 
Por sua vez, durante a coletiva de imprensa em Bruxelas, o representante britânico para as negociações, David Davis, destacou que o encontro de hoje foi “o início de uma longa viagem, mas é um início bom”.

 

 

 

 

 
“Nós compartilhamos a responsabilidade de atuar rapidamente. A saída da União Europeia não pode ser concluída sem levar em conta o futuro de nossa parceria e isso é coerente com nossa opinião de sempre”, ressaltou Davis.

 

 

 

 

 
Assim como havia sido anunciado em um documento do bloco econômico, os primeiros temas a serem debatidos envolvem as questões sobre os direitos dos cidadãos europeus que moram no Reino Unido, o acordo financeiro sobre a saída britânica e outros “problemas em separado”.

 

 

 

 

 

Sobre as garantias para os cidadãos europeus, Davis destacou que “os cidadãos podem acreditar que encontraremos uma solução razoavelmente rápida”. O britânico informou que um documento sobre o tema deverá ser divulgado já na próxima segunda-feira (26).

 

 

 

 

 

Já a questão da Irlanda, que vive em um clima de paz por conta de um acordo que envolve os europeus, será debatida de maneira separada.

 

 

 

 

 

 

“A questão irlandesa não está, de nenhuma maneira, em um dossiê de segundo nível. Exatamente ao contrário. Trata-se de uma questão mais sensível, que pede mais tempo”, ressaltou Davis destacando que o tema “é uma das prioridades”.

 

 

 

 

 
As negociações entre UE e governo britânico ocorrem em um momento delicado para a política do Reino Unido, após o revés sofrido pela premier Theresa May nas eleições gerais. A líder havia convocado o pleito para ganhar mais força para negociações “duras” com os europeus, mas o resultado das urnas fez com que ela perdesse a maioria no Parlamento.

 

 

 

 

 

 
Analistas apontam que essa inesperada derrota nas urnas fará com que a postura britânica seja “mais suave” e não tão rígida como May pretendia.

 

 

 

 

 

 

Da Redação com informações da ANSA