Internacional: Trabalho de resgate na zona do acidente do voo da Germanwings é interrompido durante a noite

Helicóptero sobrevoa a área do acidente nos Alpes franceses REUTERS/Robert Pratta
Helicóptero sobrevoa a área do acidente nos Alpes franceses
REUTERS/Robert Pratta

 

 

 

Com a chegada da noite na França nesta terça-feira (24), as equipes de resgate interromperam o trabalho no local da queda do Airbus A320 da companhia aérea alemã Germanwings, que levava 150 pessoas a bordo, nos Alpes. Porém cinco gendarmes passarão a noite no local. Os helicópteros pararam de sobrevoar a área, e a ação será retomada na quarta-feira (25) de manhã. Durante o trabalho desta tarde, a equipe encontrou uma das caixas pretas, que foi encaminhada aos serviços de investigação franceses para análise. A causa do acidente ainda é desconhecida, e não foram encontrados sobreviventes.

 

 

A equipe de resgate, formada por 300 bombeiros, 300 militares, dez helicópteros e um avião militar, relatou que o avião foi completamente destruído e reduzido a pequenos destroços. Não foram encontradas parte inteiras, como asas ou turbinas. Pedaços dos corpos das vítimas estão espalhados pela zona do acidente.

 

 

Moradores da cidade de Vernet, próxima ao local, relataram que viram o avião descendo lentamente em direção às montanhas, sem presença de fogo e sem nenhum barulho. Entre os 144 passageiro havia 45 espanhóis, 67 alemães, 2 marroquinos e 2 colombianos.

 

 

Hollande, Merkel e Rajoy

 

 

 

O presidente francês, François Hollande, receberá amanhã na zona do acidente a chanceler alemã Angela Merkel e o premiê espanhol, Mariano Rajoy. Na Alemanha, as TV transmitem ao vivo os últimos acontecimentos, os trabalhos de busca e o drama dos parentes e amigos das vítimas. Especialmente o drama das famílias dos 16 alunos e dois professores de uma escola alemã que voltavam de um programa de intercâmbio na região da Catalunha, na Espanha. A população deixou velas na frente do colégio onde eles estudavam na Alemanha.

 

 

As tripulações de alguns voos da Germanwings se negam a voar, segundo fontes da Lufthansa, proprietária da companhia de baixo custo. Por esse motivo, 30 voos da companhia foram cancelados. Na Espanha, o governo espanhol decretou três dias de luto nacional. O rei Felipe VI, que estava em Paris no momento do acidente, suspendeu a visita de Estado que realizava na França.

 

 

 
Da Redação com informações da RFI