Internacional: Queda do Airbus A-320 da Germanwings nos Alpes franceses durou 8 minutos

Airbus A-320 da Germanwings
Airbus A-320 da Germanwings

 

Em uma coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (24), a companhia aérea Germanwings indicou que a queda do Airbus A-320 nesta manhã nos Alpes franceses demorou oito minutos. A aeronave tinha 150 pessoas a bordo, entre elas, dois bebês. Segundo as autoridades francesas, não há sobreviventes.

 

 

 

O aparelho caiu nesta manhã na região do Massivo de des Trois Evêchés, próximo à cidade de Barcelonette, nos Alpes franceses, com 144 passageiros e 6 tripulantes a bordo. O avião fazia a ligação entre Barcelona, na Espanha, e Dusseldorf, na Alemanha.

 

 

 

A companhia aérea Germanwings realizou uma coletiva de imprensa nesta tarde, em Colônia, na Alemanha. Segundo um dos diretores da empresa, Thomas Winkelmann, a queda do Airbus A-320 demorou oito minutos. O último contato com o piloto foi às 10h53 (6h53 de Brasília), quando a aeronave estava a uma altitude de 6 mil pés (cerca de 1,8 mil metros).

 

 

 

Anteriormente, a Direção Geral da Aviação Civil (DGAC) da França, informou que o piloto havia enviado um pedido de socorro à torre de controle mais próxima às 10h47 minutos no horário local. Mas as autoridades voltaram atrás e informaram nesta tarde que a tripulação não enviou nenhum sinal de alerta.

 

 

 

O Airbus A-320 da Germanwings era um dos mais antigos desta série de aeronaves e estava em operação desde 1990. Segundo Winkelmann, o avião havia passado por uma revisão completa no ano passado.

 

O aparelho havia feito, sem problemas, o trajeto contrário nesta manhã, de Dusseldorf, na Alemanha, à Barcelona, na Espanha. Ele chegou no aeroporto de Barcelona às 8h55 no horário local e permaneceu em terra durante 40 minutos antes de decolar novamente no sentido contrário.

 

 

67 alemães a bordo

 

 

 

Winkelmann confirmou que 67 alemães estavam a bordo do Airbus A-320 – número que ainda pode mudar. Entre esses, 16 faziam parte de um grupo de adolescentes alemães que voltava de um intercâmbio na Catalunha.

 

 

A Germanwings disse que ainda não pode confirmar a nacionalidade dos outros passageiros. Mas o governo espanhol informou que 45 vítimas são espanholas. “Nós vamos esclarecer tudo o que for necessário o mais rápido possível”, garantiu Winkelmann.

 

 

 

O diretor declarou que as reservas contam apenas com os nomes e as datas de nascimento dos passageiros. Como a Espanha e a Alemanha fazem parte do espaço Schengen, de livre circulação na Europa, não houve controle de passaportes.

 

 

 

A Germanwings é uma companhia lowcost alemã que pertence à gigante Lufthansa. A empresa existe desde 2002 e sua sede principal é no aeroporto de Colônia/Bonn.

 

 
Da Redação com informações da EBC