Internacional: O Brasileiro Rafael que foi ferido em combate contra as Forças Armadas da Ucrânia diz passar bem.

Rafael Lusvarghi (o terceiro, da esquerda para a direita) com seus camaradas da Milícia Popular de Donbass
Rafael Lusvarghi (o terceiro, da esquerda para a direita) com seus camaradas da Milícia Popular de Donbass

 

 

O Brasileiro Rafael Marques Lusvarghi, que participa dos conflitos contra as Forças Armadas da Ucrânia na região de Donbass, postou uma mensagem hoje no Facebook informando aos seus amigos que, apesar dos ferimentos ocasionados por um ataque ao aeroporto de Donetsk, ele passa bem e já está pronto para voltar à luta.


“Dei uma passadinha em Valhalla pra tomar um hidromel com os parsa que já se foram, e já voltei pra matar muitos inimigos. Galera, vaso ruim não quebra e ainda há muito zoeria pra ser zoada. HEILSA!”, escreveu o ativista e ex-policial militar de São Paulo.

 

 

 

Conhecido no Brasil por sua atuação nas manifestações durante a Copa do Mundo de 2014, o jovem que se intitula 1º tenente da Milícia Popular de Donbass concedeu uma entrevista a um canal de TV do Leste da Ucrânia, na última quinta-feira (30), no hospital, relatando que foi ferido após o exército ucraniano violar mais uma vez, nesta semana, o regime de cessar-fogo na região. Segundo amigos, ele teria sido atingido por tiros ou estilhaços de explosivos.

 

 

 

Além de Lusvarghi, que está em Donetsk desde setembro passado, há outros brasileiros lutando ao lado dos separatistas do leste ucraniano. De acordo com uma reportagem publicada por uma revista brasileira, entre eles, encontram-se Rafael Miranda (ex-segurança e ex-motoboy), Félix (estudante universitário) e seu pai Alberto (nome fictício), Al-Hassam (nome fictício de um PM do Amazonas) e Rodolfo Magayver (ex-soldado do exército).

 

 

 

Da Redação com informações provenientes sputniknews.com