Internacional: Naufrágio no litoral da Líbia pode ter deixado 400 mortos.

Naufrágio no litoral da Líbia
Naufrágio no litoral da Líbia

 

O naufrágio no litoral da Líbia no último domingo pode ter deixado 400 mortos. A estimativa, divulgada nesta quarta-feira (15), foi feita com base nos relatos dos sobreviventes que foram resgatados e ouvidos ontem na chegada à Itália pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) e pela ONG “Save the children”.

 

 

Segundo os primeiros relatos, o barco transportava entre 500 e 550 pessoas. As primeiras informações eram de que nove corpos foram encontrados e 145 pessoas socorridas no naufrágio. Até o momento, não há informações sobre os desaparecidos.

 

 

 

A tragédia teria acontecido cerca de 24 horas depois da saída do barco do litoral da Líbia com destino à Itália. As autoridades ainda investigam as causas do naufrágio, mas tudo leva a crer que a embarcação virou depois de uma movimentação dos passageiros quando avistaram uma equipe de socorro.

 

 

 

O novo drama aumenta para 900 o número de mortos no mar Mediterrâneo desde o início deste ano, contra 47 pessoas no mesmo período de 2014. A maioria dos imigrantes são originários da África subsaariana ou do Oriente Médio, especialmente da Síria, devastada pela guerra civil. Mais de 3.400 migrantes morreram nessa rota marítima no ano passado.

 

 

 

As ongs denunciam a falta de empenho das autoridades europeias face à travessia massiva de imigrantes no mar Mediterrâneo. De acordo com a porta-voz da Human Rights Watch (HRW), Judith Sunderland, a tragédia de domingo pode ter sido uma das piores para os imigrantes e clandestinos. O Mediterrâneo se tornou um cemitério de refugiados.

 

 

 

8 mil clandestinos

 

 

 

Entre sexta-feira e segunda-feira, a guarda costeira italiana socorreu mais de 40 embarcações transportando cerca de 8 mil imigrantes clandestinos. Ontem, dois navios da operação europeia Triton foram alvos de tiros de uma rede de traficantes que tentaram recuperar uma embarcação que foi socorrida pela guarda costeira italiana. Não houve feridos.

 

 

 

O resgate dos imigrantes no mar Mediterrâneo pelas autoridades italianas vem resultando em problemas para o país. Desde o início do mês, 10.500 imigrantes foram registrados na Itália solicitando asilo. O ministério italiano do Interior fez um pedido de urgência aos prefeitos para a criação de 6.500 lugares para hospedagem, especialmente no norte e no centro da Itália.

 

 

Da Redação com informações de Agências Internacionais e da RFI