Internacional: Imprensa teve acesso a vídeo com os últimos instantes do avião A320 da Germanwings

Namorada do Copiloto do AirBus A320 da Germanwings revelou que ele tinha rompantes de fúria e pesadelos com o avião caindo.
Copiloto do Airbus A320 da companhia aérea Germanwings recebeu tratamento por tendências suicidas

 

 

O jornal alemão Bild e a revista francesa Paris-Match informam nesta quarta-feira (1) ter tido acesso a um vídeo feito por um telefone celular na cabine do A320, minutos antes do avião se chocar contra os Alpes franceses. A Justiça francesa, responsável pelas investigações, não viu as imagens e pede que o vídeo seja entregue às autoridades. Os presidentes da Lufthansa e da Germanwings, visitaram o local da tragédia, no sul da França.

 

 

O jornal alemão Bild foi o primeiro a revelar na manhã de hoje ter tido acesso a um vídeo mostrando os últimos instantes do Airbus A320 da Germanwings, antes do avião se chocar contra uma montanha nos Alpes franceses. Segundo o jornal, as imagens são autênticas e foram gravadas por um telefone celular de um passageiro. Elas mostram momentos de pânico, o que sugere que os passageiros tinham consciência da queda do aparelho.

 

 

 

A revista francesa Paris-Match também informou hoje ter visto as imagens, mas garantiu que não tem o vídeo de seis minutos de duração. O jornalista da revista afirma que a filmagem foi feita por um passageiro que estava no fundo do avião e que ela não traz nenhum elemento novo à investigação. O jornal Le Figaro informa em seu site que vários celulares foram encontrados entre os destroços do avião, mas ainda não foram enviados para análise.

 

 

O procurador de Marselha, Brice Robin, responsável pelo caso, disse não ter tido até agora acesso a nenhuma imagem da tragédia e fez um apelo às pessoas que tiverem o vídeo do acidente para entregá-lo à Justiça.

 

 

Visita ao local da tragédia

 

 

 

Os presidentes da Lufthansa e da Germanwings, filial de baixo custo da companhia aérea alemã, visitaram na manhã de hoje o local do acidente. Carsten Spohr e Thomas Winkelmann desembarcaram em Seyne-les-Alpes de helicóptero e o primeiro compromisso foi visitar o monumento erguido para lembrar as150 vítimas da tragédia.

 

 

 

Eles também prestaram homenagens às equipes que participam do resgate dos restos mortais dos passageiros e da tripulação, além dos destroços do aparelho. O presidente da Lufthansa disse ter ficado impressionado pelo profissionalismo das equipes francesas e demonstrou todo o seu reconhecimento pelo trabalho.

 

 

Ontem, a Lufthansa revelou que o copiloto Andreas Lubitz informou em 2009 ter tido uma grave crise de depressão, antes de entrar para a aviação. Ele é suspeito de ter derrubado o avião, no dia 24 de março.

 

 
Da Redação com informações de Agências Internacionais e da RFI