Internacional: Diálogos gravados em caixa-preta do vôo da Germanwings foram preservados, dizem investigadores

Uma das caixas-pretas de Airbus A 320 já foi recuperada. REUTERS/BEA/Handout
Uma das caixas-pretas de Airbus A 320 já foi recuperada.
REUTERS/BEA/Handout

 

 

O Escritório de Investigações e Análises (BEA), responsável pela apuração das causas da tragédia com o vôo da Germanwings, afirmou que foi possível recuperar o áudio gravado em uma das caixas-pretas do Airbus A320, resgatada junto aos destroços. Sem dar detalhes sobre o conteúdo das conversas entre a tripulação, o diretor do BEA afirmou que o segundo gravador das informações do voo ainda não foi encontrado.

 

 

Os investigadores acessaram os dados nesta tarde e já escutaram os diálogos gravados pela caixa-preta. O equipamento estava bastante danificado na parte externa, mas as informações foram preservadas, segundo o diretor do BEA, Rémi Jouty, que não deu detalhes sobre o que foi dito na cabine do avião.

 

 

“Ainda é muito cedo para tirar qualquer conclusão sobre o que aconteceu. É preciso um trabalho detalhado para compreender e interpretar os acontecimentos”, afirmou. “Não tenho informações mais específicas para lhes fornecer neste momento sobre as palavras [ouvidas na cabine].” Questionado, o diretor não confirmou nem desmentiu se a voz do piloto foi ouvida até os últimos instantes de voo.

 

 

Piloto automático

 

 

Jouty afirmou, entretanto, que a curva de descida realizada pela aeronave é compatível tanto com a de um avião sob o comando de um piloto quanto com a feita por um aparelho dirigido por um piloto automático. O investigador disse que a próxima etapa do trabalho será estabelecer de quem é cada voz ouvida na gravação e analisá-las em conjunto com os barulhos na cabine, que podem fornecer informações preciosas sobre a queda do avião. Muito cauteloso com a divulgação de informações, mas otimista sobre o avanço das investigações, ele evitou comentários sobre a língua falada pelos tripulantes e quanto tempo de diálogo foi registrado.

 

 

 

O diretor esclareceu que a última mensagem recebida pelos controladores aéreos do voo 4U9525 foi uma mensagem “de rotina”, confirmando o recebimento de orientações de voo. Nos instantes seguintes, porém, a aeronave começou uma trajetória de descida.

 

 

Por enquanto, nenhuma explicação sobre o acidente

 

 

 

A última altitude conhecida foi de 6 mil pés, uma altura “pouco acima do local do acidente”. “No estágio atual, não temos condições de dizer quais foram as razões que levaram o avião a descer”, declarou. Por enquanto, o diretor sublinhou que o BEA “não tem a menor explicação” sobre as causas da queda, e não descarta “nenhuma hipótese”.

 

 

O coordenador das investigações assegurou que a segunda caixa-preta ainda não foi encontrada. Mais cedo, o presidente francês, François Hollande, indicou que a proteção do gravador foi localizada, mas não o equipamento em si.

 

 

Rémi Jouty relatou “não lembrar” de um acidente no qual uma caixa-preta tenha sido completamente despedaçada. Ele confirmou que o avião da Germanwings sofreu um impacto em alta velocidade contra a montanha, no alto dos Alpes franceses.

 

 

A primeira caixa-preta foi localizada e recuperada no próprio dia do acidente, terça-feira (24). O equipamento chegou na manhã desta quarta-feira na sede do BEA, nos arredores de Paris, e imediatamente começou a ser analisada pelos especialistas.

 

 
Da Redação com informações da RFI