Internacional: Conferência de Sendai adota novo marco para reduzir riscos de desastres naturais no mundo

Crianças, em Matathirta (Nepal), aprendem como se abrigar usando as carteiras escolares em caso de terremoto. Foto: Jim Holmes for AusAID.(13/2529)
Crianças, em Matathirta (Nepal), aprendem como se abrigar usando as carteiras escolares em caso de terremoto. Foto: Jim Holmes for AusAID.(13/2529)

 

 

 

Após quatro dias de discussão e uma sessão de negociação final de mais de 30 horas, os 187 Estados que compareceram à Terceira Conferência Mundial da ONU para a Redução de Riscos de Desastres, em Sendai (Japão), adotaram a Declaração de Sendai e o Marco para a Redução de Riscos de Desastres 2015-2030. Os países participantes da Conferência acreditam que com a adoção do novo Marco, nesta quarta-feira (18), mortes, destruição e deslocamentos causados por desastres naturais podem ser significativamente reduzidos até 2030. Eles também afirmaram que a necessidade de antecipar, planejar e reduzir o risco de proteger pessoas, comunidades e países de forma mais efetiva e construir uma maior resiliência é “urgente e crítica”.

 

 

Para que o novo Marco seja adotado de forma bem-sucedida, é necessário forte comprometimento, envolvimento político e foco em quatro prioridades: entender os riscos de desastres; fortalecer o gerenciamento dos riscos; investir na redução dos riscos e na resiliência, além de reforçar a prevenção de desastres e dar respostas efetivas.

 

 

 

O novo marco global também estipulou sete metas a serem alcançadas nos próximos 15 anos, entre as que se destacam a redução substancial da mortalidade global em desastres, a diminuição do número de pessoas afetadas e das perdas em relação ao produto interno bruto (PIB) global entre outras.

 

 

 

A chefe da Estratégia Internacional das Nações Unidas para a Redução de Desastres (UNISDR), Margareta Wahlström, declarou que “a implementação do Marco de Sendai ao longo dos próximos 15 anos vai requerer comprometimento e liderança política e será vital para alcançar os acordos na área de desenvolvimento sustentável e clima, ainda esse ano”.

 

 

 

Reconhecendo o aumento do impacto dos desastres e sua complexidade em muitas partes do mundo, os Estados-membros, na sua Declaração, convocaram todas as partes interessadas para a ação, “conscientes de que a realização do novo Marco depende de nosso incessante e incansável esforço para tornar o mundo mais seguro dos desastres nas décadas que estão por vir para o benefício das presente e futuras gerações”.

 

 

 

Da Redação com informações da ONU