Internacional: Cerimônia na sede da ONU marca o fim da Segunda Guerra Mundial e a criação das Nações Unida

Ban Ki-moon (à dir.) e Sam Kutesa plantam árvore na sede da ONU. Foto: ONU/Mark Garten
Ban Ki-moon (à dir.) e Sam Kutesa plantam árvore na sede da ONU. Foto: ONU/Mark Garten

 

 

 

Uma cerimônia na sede das Nações Unidas, em Nova York, comemorou o fim da Segunda Guerra Mundial e a criação da organização.

 
O evento, nesta terça-feira, incluiu o plantio de uma árvore de “paz e unidade”. O encontro teve a participação do secretário-geral da ONU e do presidente da Assembleia Geral.

 

Futuro Melhor

 

 

Sam Kutesa afirmou que “o fim da Guerra será para sempre ligado à criação das Nações Unidas”. E que a Organização “foi fundada, em parte, para evitar que tais catástrofes aconteçam novamente”.

 

 

Já Ban Ki-moon disse que “ao criarem as Nações Unidas, há 70 anos, os fundadores plantaram as sementes de uma organização que esperavam que tiraria a humanidade do horror e a levaria para um futuro melhor”.

 

 

O chefe da ONU lembrou os “corajosos soldados de muitas nações que morreram combatendo o facismo e as milhões de vítimas do Holocausto e outros crimes da Segunda Guerra Mundial. Ele citou ainda dezenas de milhões de civis que morreram.

 

 

Ban declarou que a Organização foi alimentada pela “chama dos direitos humanos, a partilha da responsabilidade da segurança coletiva e a crença comum no desenvolvimento humano”.

 

 

Dignidade para Todos

 

 
O secretário-geral afirmou que a organização pode olhar para trás em um “histórico orgulhoso de realizações”. No entanto, ele disse saber que houve retrocessos no caminho e que o “panorama atual está marcado por conflito e tumulto”.

 

 

Ban declarou ainda que há ainda longa distância a caminhar até que as sementes semeadas há sete décadas “floresçam em vida de dignidade e paz para todos”.

 

 

Ao plantar a árvore nesta terça-feira, o chefe da ONU afirmou que lembra-se de todos os que morreram e se sacrificaram na busca pela missão estabelecida pela Carta das Nações Unidas. Ele também reafirmou a dedicação aos objetivos e ideais fundadores da ONU.

 

 

Da Redação com informações da Rádio ONU em Nova York