Internacional: Caixa-preta do voo da Germanwings é encontrada nos Alpes

Primeiras imagens do local do acidente do Airbus A320 da Germanwings são divulgadas nas redes sociais. La Provence/Twitter
Primeiras imagens do local do acidente do Airbus A320 da Germanwings são divulgadas nas redes sociais.
La Provence/Twitter

 

 

Já foi localizada uma das caixas pretas do Airbus A320 da companhia aérea alemã Germanwings, que caiu nesta terça-feira (24) nos Alpes franceses ao fazer o trajeto entre Barcelona e Dusseldorf. Uma equipe de resgate formada por 300 bombeiros, 300 militares, dez helicópteros e um avião militar foi enviada ao local do acidente. Imagens dos destroços do avião, completamente destruído, começam a circular nas redes sociais.

 

 

 

Os primeiros a chegar à região do acidente, que é de difícil acesso, foram os militares de alta montanha, que conhecem bem o tipo de terreno. Eles relataram que o avião foi completamente destruído e reduzido a pequenos destroços. Não foram encontradas parte inteiras, como asas ou turbinas.

 

 

 

Um deputado do município de Vernet, a 20 quilômetros da região do acidente, disse ao canal BFM TV que até o momento nenhum corpo inteiro foi encontrado. Espalhados pelo local do acidente, há apenas pedaços dos corpos das vítimas.

 

 

 

Habitantes da região, que testemunharam a queda do aparelho, se dizem chocados. Ao contrário da hipótese formulada durante o dia sobre a desintegração do avião no ar, moradores de Vernet dizem que presenciaram a aeronave voando muito baixo. Eles relatam que o Airbus A320 desceu lentamente em direção às montanhas, sem presença de fogo ou mesmo barulho.

 

 

Sinal de alerta

 

 

 

Desmentindo a informação divulgada inicialmente, a Direção Geral da Aviação Civil da França (DGAC) confirmou, na tarde desta terça-feira (24), que a tripulação do Airbus A320 não emitiu sinal de alerta às 10h47 minutos no horário local. “Foi o controle aéreo que decidiu declarar o alerta porque não conseguia mais nenhum contato com a tripulação e o avião”, reiterou o órgão.

 

 

Anteriormente, a DGAC informou que o piloto havia enviado um pedido de socorro à torre de controle mais próxima às 10h47 minutos no horário local, o que não aconteceu. Em coletiva de imprensa realizada nesta tarde, a Germanwings indicou que o último contato com o piloto foi às 10h53 (6h53 de Brasília), quando a aeronave estava a uma altitude de 6 mil pés (cerca de 1,8 mil metros).

 

 

Vítimas

 

 

Entre os 144 passageiros do Airbus A320 da Germanwings havia 45 espanhóis e 67 alemães. Autoridades indicaram que havia dois bebês a bordo e um grupo de 16 adolescentes alemães que voltava de um intercâmbio na Catalunha.

 

 

A Germanwings disse que ainda não pode confirmar a nacionalidade dos outros passageiros. Um dos diretores da companhia, Thomas Winkelmann, explicou nesta tarde que as reservas contam apenas com os nomes e as datas de nascimento dos passageiros. Como a Espanha e a Alemanha fazem parte do espaço Schengen, de livre circulação na Europa, não houve controle de passaportes em Barcelona.

 

 

A chanceler alemã Angela Merkel, que falou ao telefone hoje com o presidente francês, François Hollande, viajará amanhã para a zona do acidente, assim como o premiê espanhol, Mariano Rajoy. O presidente norte-americano Barack Obama também ofereceu ajuda ao governo francês.

 

 

 

Da Redação com informações da RFI