Dia Mundial da Liberdade de Imprensa: Unesco diz que “jornalismo de qualidade é necessário na era digital”.

Nações Unidas defendem liberdade de opinião. Foto: ONU/Evan Schneider
Nações Unidas defendem liberdade de opinião. Foto: ONU/Evan Schneider

 

 

No Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, celebrado neste domingo, 3 de maio, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está defendendo que as reportagens sejam melhor apuradas.

 
Segundo a agência da ONU, é necessário melhorar a qualidade do jornalismo, num momento em que “o ambiente da mídia está mudando constantemente com a tecnologia”.

 

 

Mulheres

 

 
A Unesco está preocupada com a divulgação de informações precisas, verdadeiras e independentes pela mídia e imprensa global. Outra prioridade é garantir a igualdade de gênero no setor, para que mais mulheres jornalistas consigam alcançar posições de decisão no setor.

 

 

A segurança digital é o terceiro foco da Unesco no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa 2015. A agência lembra que com a comunicação digital, está mais difícil para os jornalistas protegerem a si próprios e as suas fontes.

 

 

Decisões

 

 

 

A diretora da Unesco, Irina Bokova, divulgou uma mensagem em conjunto com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e com o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Al Hussein.

 

 

 

No comunicado, os três afirmam que todas as pessoas precisam ser livres para “buscar, receber e partilhar conhecimentos e informaçãoes na mídia online e offline”. Eles lembram que o jornalismo de qualidade permite que os cidadãos tomem decisões sobre o desenvolvimento da sociedade, além de expor casos de corrupção e de abuso de poder.

 

 

Neste domingo, a Unesco entrega o Prêmio Mundial Guillermo Cano de Liberdade de Imprensa para Mazen Darwish, um jornalista sírio e defensor dos direitos humanos, que está preso.

 

 
O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa foi criado pela Assembleia Geral da ONU em 1993. Desde então, a data busca chamar a atenção para a importância da liberdade de expressão e do combate a ataques contra profissionais do setor.

 

 
Da Redação com informações da Rádio ONU em Nova York