Tênis de Mesa paraolímpico: Seleção encerra participação histórica no Aberto da Itália com 10 pódios

Seleção Brasileira de tênis de mesa paraolímpico
Seleção Brasileira de tênis de mesa paraolímpico

 

A Seleção Brasileira de tênis de mesa paraolímpico já havia feito história ao conquistar, na última quinta (19.03), quatro medalhas nas disputas individuais do Aberto de Lignano, na Itália. Mas o resultado ficou ainda melhor no sábado (21.03): o Brasil conquistou mais seis medalhas (uma de prata e cinco de bronze), totalizando 10 pódios na competição. Foi a melhor participação da seleção em torneios fator 40, o mais alto do Circuito Mundial.

 

 

 

No feminino, Danielle Rauen e Jennyfer Parinos venceram a francesa Marie Claire (8ª da classe 9) e a romena Gabriela Constantin (11ª da classe 7) por 3 a 0. Na decisão, derrota para as holandesas Kelly Van Zon (1ª da classe 7) e Danielle De Jong (10ª da classe 9) por 3 a 1, mas jogando de igual para igual.

 

 

 

Israel Stroh e Paulo Salmin (16º), na classe 7, nas quartas de final derrotaram a Grã-Bretanha/Suécia por 3 a 0. Na semifinal, caíram diante dos ucranianos Maksym Nikolenko (1º) e Mykhaylo Popov (3º) pelo mesmo placar.

 

 

 

Pela classe 1-2 feminina, Catia Oliveira (10ª) e Carla Azevedo (12ª) venceram Israel/Sérvia (3 a 1) e Itália (3 a 1) e foram superadas pela França (3 a 1) e pela Rússia/Coreia (3 a 0), faturando o bronze.

 

 

 

Entre os homens, Bruno Braga e Aloísio Lima, pela classe 1, enfrentaram os coreanos Jae-Kwan Cho (7º da classe 1) e KiWon Nam (10º) na semifinal e acabaram superados por 3 a 2, em duelo equilibrado, terminando em terceiro lugar.

 

 

 

Pela classe 2, Iranildo Espíndola (16º) e Guilherme Costa (18º) também conquistaram o bronze. Eles eliminaram a Espanha (3 a 2) nas quartas de final, mas não conseguiram bater os franceses Stephane Molliens (5º) e Vincent Boury (13º) na semifinal (3 a 0).

 

 

 

Joyce Oliveira (9ª), que faz parceria com a tailandesa Wijittra Jaion (7ª) na classe 4-5, superou aGrã-Bretanha (3 a 2) e Eslovênia (3 a 1), mas caiu diante de Suécia/Israel (3 a 2) e Sérvia (3 a 1), ficando com o bronze.

 

 

 

Na classe 8 masculina, Luiz Felipe Manara (25º) formou parceria com o norueguês Steffen Salomonsen e caiu nas quartas de final para a Bélgica (3 a 0), dos campeões olímpicos Marc Ledoux (11º) e Mathieu Loicq (14º).

 

 

 

Já na classe 10, devido a lesão de Carlos Carbinatti (20º), que formaria equipe com Diego Moreira, ainda nas disputas individuais, a seleção não participou da competição.

 

 

 

“Saímos satisfeitos com os resultados e com o rendimento dos atletas, que é o mais importante nessa fase que estamos em preparação para as Paraolimpíadas. Tivemos uma ótima participação no Mundial da China (em setembro de 2014), quando ficamos um tempo sem participar de competições internacionais, mas treinamos muito forte. E seguimos assim, trabalhando todas as áreas, com uma equipe multidisciplinar muito boa. Hoje em dia o Brasil é muito mais respeitado no Circuito Mundial”, disse Paulo Camargo.

 

 

 

 

Da Redação com informações da CBTM