Prêmio Laureus 16ª edição – 2015: Atletas Olímpicos, Novak Djokovic e Genzebe Dibaba conquistam o Oscar do esporte

Novak Djokovic posa com o Laureus em Xangai
Novak Djokovic posa com o Laureus em Xangai

 

Tenista e corredora receberam o Laureus em Xangai. A atleta paraolímpica Tatyana McFadden, dos Estados Unidos, também foi premiada, na categoria “melhor atleta com deficiência”

 

 

O tenista sérvio Novak Djokovic e a etíope Genzebe Dibaba, do atletismo, foram eleitos os melhores atletas do ano nesta quarta-feira (15.4), durante a 16ª edição do Prêmio Laureus, realizada em Xangai, na China.

 

 

Considerada o “Oscar do esporte”, a cerimônia ainda distribuiu prêmio em outras sete categorias: melhor equipe,revelação, melhor retorno, melhor atleta de ação, melhor atleta com deficiência, esporte para o bem e conquista do ano. O surfista Gabriel Medina era o único brasileiro indicado às premiações, para a categoria melhor atleta de ação, mas não levou o prêmio.

 

 
Na categoria masculina de melhor atleta do ano, Novak Djokovic concorria com o francês Renaud Lavilleine (atletismo), o português Cristiano Ronaldo (futebol), o norte-irlandês Rory McIlroy (golfe), o espanhol Marc Márquez (motovelocidade) e o britânico Lewis Hamilton (automobilismo). Depois de uma temporada com sete títulos e 61 vitórias em 69 jogos, o tenista, de 27 anos, tornou-se nesta semana o sexto tenista com maior tempo de liderança do ranking mundial.

 

 

A etíope Genzebe Dibaba, 24 anos, juntou-se a lendas do esportes no início de 2015: ao lado de Jesse Owens e Usain Bolt, ela é a única mulher a quebrar três recordes mundiais em três provas diferentes do atletismo em um intervalo de duas semanas. Fundista, a atleta anotou as melhores marcas da história nas provas dos 1.500m, dos 3.000m e de duas milhas entre os dias 1 e 15 de fevereiro de 2015. Para ficar com o prêmio, Dibaba superou a neozelandesa Valerie Adams (atletismo), a noruguesa Marit Bjorgen (esqui alpino), a chinesa Na Li (tênis), a eslovena Tina Maze (esqui) e a norte-americana Serena Williams (tênis).

 

 

Os dois grandes aclamados do Prêmio Laureus 2015 já participaram dos Jogos Olímpicos. Bronze no torneio de simples nos Jogos Pequim 2008, Djokovic também competiu em Londres 2012, mas ficou na quarta posição. Já Genzebe Dibaba, que sucedeu a também atleta olímpica Missy Franklin como vencedora do prêmio, era uma das favoritas ao pódio dos 1.500m nos Jogos Londres 2012, mas teve de deixar a competição mais cedo do que o previsto após sofrer uma lesão na coxa durante a última volta de sua prova classificatória. Os dois, a não ser em caso de contusão, serão duas das estrelas internacionais durante os Jogos Rio 2016.

 

 

 

Quem também esteve nos Jogos Londres 2012 foi Tatyana McFadden, eleita a melhor atleta com deficiência de 2015. A norte-americana, de 25 anos, soma 10 medalhas paraolímpicas no atletismo (três de ouro, quatro de prata e três de bronze), conquistadas entre os Jogos Atenas 2004 e Londres 2012.

 

 

Os outros premiados do evento foram a seleção de futebol masculino da Alemanha (melhor equipe), o piloto australiano Daniel Ricciardo (revelação), o jogador sul-africano de rúgbi Schalk Burger (melhor retorno) e o norte-americano Alan Eustace, do paraquedismo (atleta de ação). Outros dois prêmios especiais foram entregues: o de “esporte para o bem”, para o projeto Skateistan, do Afeganistão, e o de “conquista do ano”, para a ex-tenista chinesa Na Li, que se aposentou em 2014.

 

 

 

A escolha dos indicados ao Prêmio Laureus é feita inicialmente por votação entre jornalistas e especialistas em esporte de todo o mundo. Em seguida, a Academia Laureus, composta por 50 grandes nomes do esporte – como o jogador de futebol alemão Franz Beckenbauer, a ginasta romena Nadia Comaneci e o piloto brasileiro Emerson Fittipaldi –, escolhe o vencedor a partir da lista de seis mais votados entre os jornalistas. O Rio de Janeiro recebeu a edição de 2013 da premiação.

 

 

Confira abaixo a lista de vencedores do Prêmio Laureus 2015:

 

 

 

Melhor atleta (masculino): Novak Djokovic (Sérvia) – tênis
Melhor atleta (feminino): Genzebe Dibaba (Etiópia) – atletismo
Melhor equipe: seleção masculina da Alemanha – futebol
Revelação: Daniel Ricciardo (Austrália) – automobilismo
Melhor retorno: Schalk Burger (África do Sul) – rúgbi
Melhor atleta de ação: Alan Eustace (EUA) – paraquedismo
Melhor atleta com deficiência: Tatyana McFadden (Grã-Bretanha) – atletismo
Esporte para o bem: Skateistan (Afeganistão) – skate
Conquista do ano: Na Li (China) – tênis

 

 

Da Redação com informações Rio 2016