Liga Mundial de Vôlei – 2015: Brasil estreia contra a Sérvia no Mineirinho, em Belo Horizonte.

O levantador Raphael será o capitão do Brasil na estreia da Liga Mundial 2015
O levantador Raphael será o capitão do Brasil na estreia da Liga Mundial 2015

 

 

A estreia do Brasil na Liga Mundial tem quase tudo para ser tensa. Quase, porque, no que depender da seleção brasileira masculina de vôlei, isso não acontece bem assim. Comissão técnica e jogadores trabalharam com concentração, porém com leveza na tarde desta quinta-feira (28.05), no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). O primeiro jogo do ano será nesta sexta (29.05), às 14h, no mesmo local, contra a Sérvia. A partida será transmitida pela TV Globo, SporTV e Band.

 

 

 

Nem mesmo a suspensão imposta pelo painel disciplinar da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) ao técnico Bernardinho tirou o bom clima da seleção brasileira. O treinador garante que o fato de não poder comandar a seleção não será decisivo para a equipe brasileira, já que Rubinho, seu assistente direto, terá plena autonomia e capacidade para dirigir a seleção.

 

 

 

 

“Nós temos um grupo de trabalho e eu tenho pessoas ao meu lado que são extensão do que eu penso. Trabalhamos juntos. Então, a minha ausência não significa muita coisa. São profissionais qualificados, como é o caso do Rubinho, que estará no comando, e o Juba, que estará com ele. Ambos têm plenas condições de dar prosseguimento a esse trabalho”, afirmou Bernardinho.

 

 

 

 

Rubinho procura demonstrar tranquilidade com a nova situação. “A responsabilidade é enorme, claro, não só pelo campeonato em si, mas pelo longo histórico do Bernardo no comando da seleção. É algo diferente para mim, para os jogadores, mas eu sempre tive muito apoio do Bernardo e temos que encarar tudo isso tranquilamente”, garantiu Rubinho.

 

 

 

 

Outra novidade para a estreia do Brasil na Liga Mundial estará em quadra: o levantador Raphael como capitão do time. O jogador demonstrou grande satisfação e honra em receber esse voto de confiança da comissão técnica.

 

 

 

 

“Isso é uma emoção enorme para mim. Quando um jovem começa a jogar, sonha em chegar à seleção brasileira, e isso já é muito difícil pela quantidade de jogadores de alto nível. E ser o capitão de uma seleção tão vitoriosa como essa é incrível. É uma responsabilidade enorme, mas um orgulho sem tamanho. É uma emoção difícil de expressar. Sem dúvida, é um sonho sendo realizado”, afirmou Raphael.

 

 

 

 

O levantador e capitão da seleção brasileira ainda fez questão de destacar o papel importante dos demais companheiros em quadra. “Dentro de um grupo, existem vários capitães que não tem a tarjeta, mas que são naturalmente. Esses continuam sendo os líderes, como antes. E eu vou tentar dar minha contribuição. Será mesmo apenas algo muito especial, um orgulho”, disse Raphael.

 

 

 

 

E as novidades no Brasil seguem adiante. O líbero Serginho está de volta e, aos 39 anos, demonstra ansiedade nesta sua reestreia com a camisa verde e amarela.

 

 

 

 

“Estou voltando bem. O Bernardinho conversou comigo hoje e pediu para eu ter calma amanhã, fazer o que eu sei e sem afobação. Sei que tenho uma responsabilidade muito grande, mas no grupo temos outros atletas com o mesmo nível de responsabilidade. Vamos jogar para fazer uma boa estreia. Com certeza, ainda não teremos o ritmo desejado, mas é normal. Sem contar que a Sérvia é uma equipe jogueira, de muita habilidade e tem bons jogadores. Vamos começar já com um jogo difícil”, concluiu Serginho.

 
Da Redação com informações provenientes da CBV