Judô: Rafael Silva fica com a prata no Grand Prix de Samsun, na Turquia

Rafael Silva
Rafael Silva

 

 

O Brasil conquistou a segunda medalha de prata no Grand Prix de Samsun, na Turquia, neste domingo (29.03), último dia de competições. O peso-pesado Rafael Silva venceu todos os adversários de sua chave e disputou o ouro com o tunisiano Faicel Jaballah, medalhista de bronze no Mundial de 2013. Levando uma punição a mais que o adversário (3-2), Rafael acabou ficando com a prata, a segunda do Brasil na competição. Tiago Camilo, Gabriel Souza, Gustavo Assis e David Moura foram os outros brasileiros que competiram neste domingo, mas não chegaram às finais.

 

 

Para avançar à decisão, “Baby” começou a disputa vencendo uma luta dura contra Matjaz Ceraj (Eslovênia) nas punições (2-1). Com um ippon, o brasileiro despachou o russo Andrey Volkov e seguiu às quartas de final, quando bateu Iurii Krakovetskii, do Quirguistão, para chegar à semifinal. A vaga na decisão chegou graças a um ippon sobre Iakiv Khammo (Ucrânia) com apenas 1’45” de luta. Com os pontos conquistados na Turquia, Rafael retoma a liderança do ranking mundial.

 

 

 

“Acho que foi uma boa competição, apesar da prata e deu para colocar em prática bastante do que venho treinando. Este ano será longo e uma curva de evolução até as Olimpíadas é sempre importante. Todas as competições até lá serão preparatórias para esse objetivo”, comentou Rafael. “Em relação à final, foi mérito do tunisiano que conseguiu a vantagem no shido. Acredito que no final ele poderia ter sido punido, mas acontece, é no detalhe. Espero ansioso pelo próximo combate.”

 

 

Além de Rafael, outros quatro brasileiros entraram no tatame neste domingo. Tiago Camilo (90kg) começou bem com uma vitória sobre Celio Dias (Portugal), mas caiu nas oitavas para o ippon de Tural Safguliyev (Azerbaijão). Na mesma categoria, Gustavo Assis começou com vitória por ippon sobre Davronbek Sattorov (Uzbequistão), mas não passou por Aleksander Kukolj (Sérvia). Gabriel Souza (100kg) não foi páreo para Toma Nikiforov em sua estreia em Samsun e David Moura (+100kg) chegou às oitavas, quando perdeu para o russo Soslan Bostanov.

 

 

Os resultados deste domingo deixaram o Brasil em 11° no quadro geral, com duas medalhas de prata. A primeira foi conquistada pela peso-ligeiro Nathália Brigida na última sexta-feira (27.03). Com as duas pratas, dois quintos e dois sétimos lugares, o país melhorou seu desempenho na competição em relação a edição de 2014, quando voltou da Turquia com dois bronzes.

 

Resultados de sábado

 

 

O Brasil esteve muito perto de sua segunda medalha no Grand Prix de Samsun ainda no sábado. Maria Portela (70kg) chegou à disputa do bronze contra a mongol Naranjargal Tsend Ayush, saiu na frente com um wazari, mas a atleta da Mongólia dominou a pegada e forçou quatro punições para a brasileira que acabou na quinta colocação.

 

 

 

O meio médio Victor Penalber foi o segundo melhor brasileiro do dia, terminando a competição na sétima colocação. Nas quartas de final contra o iraniano Saied Mollaei, saiu na frente com um wazari, mas sentiu o ombro durante a luta e, sem conseguir desenvolver seu melhor judô, sofreu o ippon faltando poucos segundos para o fim do combate. Por conta da lesão, ele não conseguiu voltar para a repescagem contra o mongol Uuganbaatar Otgonbaatar e ficou fora da disputa por medalhas. “Não foi uma lesão grave. Ele apenas foi poupado em uma decisão conjunto com a comissão técnica”, explicou Ney Wilson, chefe da delegação.

 

 

Os outros brasileiros em ação no dia foram Igor Pereira (73kg) e Veronice Chagas (63kg), que disputavam seu primeiro Grand Prix desde que passaram pela Seletiva no final do ano passado. Ambos foram derrotados na primeira rodada por Igor Wandtke(Alemanha) e Karina Talach (Polônia), respectivamente, e ficaram fora do bloco final.

 

 

Da Redação com informações da CBJ