Jogos Olímpicos Rio 2016: Iniciadas as obras na lagoa Rodrigo de Freitas para os Jogos 2016

Lagoa Rodrigo de Freitas
Lagoa Rodrigo de Freitas

 

Tiveram início as obras na lagoa Rodrigo de Freitas, sede das competições de remo e canoagem nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. O projeto de adequação, estimado em R$ 14 milhões, abrange três fases: a parte de obras civis, que consiste na construção da uma nova torre de chegada e na reforma da garagem para os barcos; a implantação de infraestrutura para raias, cronometragem e plataformas de câmeras; e a aquisição de estruturas flutuantes para treinamentos e competições.

 

 

A nova torre de chegada, que será toda de vidro e terá quatro andares no modo competição, e a modernização das garagens de barcos, que serão adequadas aos conceitos de acessibilidade, vão trazer um novo padrão de instalações esportivas à cidade, melhorando a utilização do espaço pelos atletas e deixando o Estádio de Remo da Lagoa pronto para receber competições de nível internacional. As obras foram iniciadas há 15 dias.

Forte de Copa Cabana
Forte de Copa Cabana

 

Para garantir a perfeita fixação das raias de competição, cronometragem e plataformas de câmeras, serão implantados suportes metálicos submersos, três metros abaixo do espelho d’água da lagoa Rodrigo de Freitas. Feitas sob medida e de forma a minimizar o impacto ambiental, as estruturas atendem aos requerimentos das federações internacionais de remo e canoagem.

 

 
Tiveram início as obras na lagoa Rodrigo de Freitas, sede das competições de remo e canoagem nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. O projeto de adequação, estimado em R$ 14 milhões, abrange três fases: a parte de obras civis, que consiste na construção da uma nova torre de chegada e na reforma da garagem para os barcos; a implantação de infraestrutura para raias, cronometragem e plataformas de câmeras; e a aquisição de estruturas flutuantes para treinamentos e competições.

 

 

 

A nova torre de chegada, que será toda de vidro e terá quatro andares no modo competição, e a modernização das garagens de barcos, que serão adequadas aos conceitos de acessibilidade, vão trazer um novo padrão de instalações esportivas à cidade, melhorando a utilização do espaço pelos atletas e deixando o Estádio de Remo da Lagoa pronto para receber competições de nível internacional. As obras foram iniciadas há 15 dias.

 

 

 

Para garantir a perfeita fixação das raias de competição, cronometragem e plataformas de câmeras, serão implantados suportes metálicos submersos, três metros abaixo do espelho d’água da lagoa Rodrigo de Freitas. Feitas sob medida e de forma a minimizar o impacto ambiental, as estruturas atendem aos requerimentos das federações internacionais de remo e canoagem.

 

 

 

Da Redação com informações do Governo do Rio de Janeiro e Comitê Rio 2016