Esporte: Equipe DTA Atibaia se destaca no Campeonato Brasileiro de Drift Trike

DTA Atibaia
DTA Atibaia

 

 

As feras dos carrinhos, asfaltos e derrapagens da equipe DTA – Drift Trike Atibaia tiveram que se superar em um ambiente bastante molhado, no último final de semana. Os pilotos foram até a cidade de Rio Negro, no Paraná, para participar da 1ª Etapa do NDT – Campeonato Brasileiro de Drift Trike, que aconteceu debaixo de muita chuva. O evento ocorreu no Parque Ecoturístico Municipal São Luís de Tolosa e reuniu competidores de ponta de um dos esportes radicais que mais ganha novos adeptos a cada dia no Brasil.

 

 

A modalidade já virou febre entre os amantes da adrenalina e da prática de exercícios ao ar livre. Os triciclos adaptados descem ladeiras cheias de curvas em alta velocidade, exigindo dos profissionais muita técnica e destreza em derrapagens radicais. Se em pistas secas as competições já são emocionantes para quem participa e assiste, em condições climáticas desfavoráveis a vibração se torna ainda maior.

 

 

Desempenho DTA

 

 

 

Já há algumas competições, a equipe DTA vem se firmando como uma das mais fortes e preparadas para disputar títulos e boas colocações. No campeonato brasileiro, que é considerado um dos mais competitivos do mundo, não foi diferente. Quatro pilotos da equipe atibaiense subiram ao pódio, fazendo com que a DTA fosse a mais premiada da competição. Marcelo Verdi, que havia conquistado um excelente resultado como vice-campeão na etapa do mundial realizada em Atibaia, ficou com o quarto lugar nesta 1ª etapa do brasileiro, correndo pela Categoria Master. Outro piloto atibaiense e um dos pioneiros do esporte na cidade, Igor Spacek, também alcançou uma ótima colocação, conquistando o terceiro lugar na mesma categoria. Ainda pela Master, outro piloto DTA, Roberto Fernandes levou para casa o troféu de campeão.

 

 

 

Na categoria Pró, Felipe Faria, o Indião, uma das maiores promessas da modalidade no país, ficou em segundo lugar. Assim como o lendário piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna, Indião garante que encontra ainda mais motivação e desafio quando as provas são realizadas em dias chuvosos. Apesar do alto grau de dificuldade por conta da pista molhada, ele afirma que se sente mais inspirado quando corre na chuva. “Eu, particularmente, gosto de correr com chuva. Acho que é uma emoção a mais e estou acostumado a treinar nessas condições”, declarou. O atleta também falou sobre o alto nível da competição. “A participação de muitos atletas de ponta tornou o nível da competição bastante alto. A prova foi muito boa e competitiva, apesar de bastante difícil, por causa da chuva. O asfalto da pista já é liso quando seco e, molhado, exigiu ainda mais dos pilotos, tornando a disputa mais técnica, mas a chuva foi uma emoção a mais”, comentou.

 

 

A competição

 

 

 

A chuva, os pilotos de alto nível e as belezas de Rio Negro foram os grandes diferenciais da primeira etapa da competição. No sábado, dia 28, os atletas fizeram os treinos e, no domingo, dia 29, ocorreram as disputas oficiais. “Nós tivemos alguns imprevistos que foram contornados graças ao apoio da prefeitura local e dos pilotos. A prova atingiu os objetivos e foi realizada sem nenhum acidente grave, o que nos deixou contentes. Apesar da chuva, que exigiu muita técnica, vários atletas comentaram que a condição climática, aparentemente ruim, deixou a competição mais interessante. O local onde aconteceu o evento foi uma atração à parte, pois as famílias puderam aproveitar os atrativos turísticos, históricos e ambientais do parque, que é considerado um dos mais bonitos do país”, comentou Thiago Maydana, um dos organizadores do evento.

 

 

O local

 

 

 

O Parque Ecoturístico Municipal São Luís de Tolosa, que sediou o campeonato, é tombado pelo patrimônio histórico. Dentro dele está o prédio conhecido como “Seminário”, uma edificação onde funcionou, até a década de 70, um seminário franciscano. Atualmente, ele abriga a prefeitura de Rio Negro. “Realizar um evento esportivo em um lugar onde fica a prefeitura da cidade mostra o importante incentivo dado pelo poder público local. Além disso, vários pilotos se deslocaram de cidades distantes, alguns percorreram cerca de 1.000 km para prestigiar o evento. Tanto a prefeitura da cidade quanto os participantes estão de parabéns pelo sucesso da competição e pelo esforço em torno da profissionalização do Drift Trike”, declarou Thiago.

 

 

Esporte de família

 

 

 

Engana-se quem pensa que o Drift Trike é um esporte praticado apenas por malucos por adrenalina. A modalidade também cativa mulheres, crianças e famílias que buscam o prazer da boa convivência e práticas ao ar livre. Esse é o caso de uma família mineira que fez bonito nessa competição: Gilmar Almeida, Elisângela Flávia Duarte e Henrique (Rico). O pai, Gilmar, foi o campeão da Categoria Pró. A mãe, Elisângela, ficou com a segunda colocação da Categoria Feminina e Rico, o filho, também conquistou o segundo lugar no pódio pela Categoria Infantil.

 

 

 

O sucesso de eventos importantes como essa 1ª Etapa do NDT – Campeonato Brasileiro de Drift Trike, o profissionalismo dos organizadores e a competência dos pilotos reforçam a cada dia a imagem do Brasil como uma das principais referências do esporte no mundo. Já as ótimas conquistas da equipe DTA – Drift Trike Atibaia fazem da cidade um dos principais núcleos incentivadores da modalidade no país.
Confira a classificação dos atletas DTA:

 

 

1ª Etapa do NDT – Campeonato Brasileiro de Drift Trike

 

 

Master
1- Roberto Vovô (SP) – DTA – Drift Trike Atibaia
2- André Doom (MG)
3- Igor Spacek (SP)- DTA – Drift Trike Atibaia
4- Marcelo Verdi (SP)- DTA – Drift Trike Atibaia

 

 

Masculino
1-Gilmar Padeiro (MG)
2- Felipe Indião (PR) – DTA – Drift Trike Atibaia
3- Cisco (SP)
4- Filipe Salsa (SC)

 

 

 

Infantil
1- Laerty Mimado (SP)
2- Rico (MG)
3- Leonardo (PR)
4- Walyson (PR)

 

 

Feminino
1- Luciana (PR)
2- Elisangela (MG)
3- Renata (PR)
4- Evelyn (PR)

 

 

Da Redação com informações do DTA Atibaia