Cultura: ONU comemora o Dia Internacional do Jazz nesta quinta-feira, 30 de abril.

Mais de 180 países comemoram o Dia Internacional do Jazz esta quinta-feira, 30 de abril. Foto: ONU/JC McIlwaine
Mais de 180 países comemoram o Dia Internacional do Jazz esta quinta-feira, 30 de abril. Foto: ONU/JC McIlwaine

 

 

Mais de 180 países comemoram, junto com a ONU, o Dia Internacional do Jazz esta quinta-feira, 30 de abril. A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, declarou que “em tempos de mudanças e incertezas, o espírito do jazz é mais necessário do que nunca”.

 
Irina Bokova acredita que o estilo musical pode ajudar a promover o diálogo, a liberdade, criar “novas pontes de respeito e de entendimento” e facilitar a tolerância e a cooperação entre as pessoas.

 
União

 
O pensamento é compartilhado pela cantora brasileira Rosa Passos, que conversou com a Rádio ONU, desde de Brasília, sobre o Dia Internacional do Jazz.

 
“A música é universal, é infinita, tem essa capacidade de unir os povos. Vou dar um exemplo: eu mesma cantando agora na Europa, eu fiz uma temporada na Dinamarca, na Escandinávia e na Finlândia, cantando em português. E as pessoas estavam curtindo, gostando. A música em si, seja o jazz, tem essa capacidade de unir, de fazer com que as pessoas se amem, compartilhem de tudo, por causa da beleza, da musicalidade, da melodia, da harmonia.”

 
Concerto

 
A baiana Rosa Passos, que já fez show inclusive no Carnegie Hall, em Nova York, escolheu a versão de Sarah Vaughan para a canção “Body and Soul” como sua preferida para celebrar o Dia Internacional do Jazz.

 
E para a Unesco, o “jazz é uma música de paz”, essencial para lutar contra novas formas de ódio, de racismo e de discriminação”. Para celebrar o estilo musical, a agência da ONU promove um grande show em sua sede em Paris, com a participação dos artistas Herbie Hancock, Dee Dee Bridgewater, Marcus Miller e Dianne Reeves. Dois brasileiros vão participar da festa, a cantora Eliane Elias e o trompetista Cláudio Roditi.

 

 

 

Da Redação com informações da Rádio ONU de Nova York